Que isso Bela?: Adolescentes antes da hora.

6 de mar de 2013

Adolescentes antes da hora.

 Esses dias eu fui na escola de tarde para devolver um livro na biblioteca e sem querer ouvi um grupo de meninas da quinta série falando de como foi a noite e de quantos meninos beijaram. Elas estavam todas maquiadas, penteadas, com brincos, pulseiras e colares, quem dera se elas soubessem que tudo isso é ridículo e que a infância foi feita para brincar e não para esse tipo de coisa, quem dera se elas pudessem ver como eram as brincadeiras há cinco ou seis anos atrás. Quem dera se elas não pudessem entender dessas coisas e todas às manhãs em vez de maquiar, fossem brincar de ser espiãs e ver o que a mãe estava fazendo para o almoço. Quem dera se elas não conhecessem os celulares com android e brincassem com tamagoshi, ah... se eu pudesse fazer alguma coisa, se eu pudesse fazer perceber que tudo é mais simples, que essa não é a idade de corações partidos e beijos. Elas são tão pequenas e querendo ser grandes, se elas soubessem que daqui à alguns anos vão desejar refazer tudo outra vez, vão desejar ver mais desenhos animados, vão desejar brincar mais vezes de futebol na rua com os primos, quem me dera poder fazê-las perceber que vão se arrepender de fazer as coisas cedo demais. Essa é a idade de brincar de ser princesas, de pular na cama até afundar o colchão do quarto da sua mãe, de sonhar mil e umas aventuras com a Rapunzel e o Capitão Gancho, assim ninguém poderia feri-las, não teriam cicatrizes de amores desentendidos antes da hora. Quem dera se elas não tentassem crescer e vissem como é bom ter essa idade, e que rebeldia era fazer tatuagem de chiclete e dormir cinco minutos depois da hora marcada e que diversão era brincar com os amigos de coisas que as mães não entendem e acham engraçado. Elas já não assistem Dsiney Channel, vão direto para canais adultos, não leem mais os gibis da Mônica e sim a Capricho, não gostam mais da Tinker Bell e passam o dia pensando em como conquistar o menininho da outra sala. Queria poder fazê-las entender que elas são pequenas demais para isso e que devem aproveitar mais. Mas em vez disso, passei reto para a biblioteca na esperança que elas pudessem se dar conta do grande erro que cometem. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

- Pode falar palavrão, eu não ligo, também falo um monte.
- Aceito apenas tags.
- Aceito "segue de volta?" se comentar algo relativo ao post também.
- Críticas construtivas são sempre bem-vidas.