Que isso Bela?

16 de fev de 2015

Playlist: Lana del Rey

Confesso que até algum tempo atrás, eu tinha um certo preconceito com as músicas da Lana e só tinha ouvido Summertime Sadness, Ride e Video Games e pensava que as outras músicas eram do tipo "só vou ouvir quando estiver com insônia pra ver se durmo". Porém, tenho uma amiga que ama de paixão essa mulher e vive compartilhando trechos das músicas ou postando link na timeline do Facebook, então dia desses parei para ouvir e acabei me apaixonando também. As músicas são ótimas e me arrependo de não ter pesquisado antes!



E você, já curtia Lana del Rey ou prefere outros cantores? Gostou de alguma música?

Deixe sua opinião nos comentários, até o próximo post.

8 de fev de 2015

Não se preocupe com a saúde alheia.

Antes de começar o post propriamente dito, vou falar apenas sobre moças gordinhas porque 1. é o que está em evidência nos últimos meses 2. não tenho experiências com calças 38/40 e se você tiver, me conte nos comentários.

Tenho notado que depois que as modelos e blogueiras plus size ganharam destaque no Brasil e trouxeram com elas uma onda de mulheres que não sentem mais vergonha do seu corpo, e a "preocupação" com a saúde alheia tem sido motivo de debates acalorados em qualquer rede social.

Talvez o mais engraçado desses debates são os comentários do tipo "dizer que gosta de gordinhas é prejudicá-las, pois isso só vai fazer ela engordar mais" "ser gordo não é bonito!" "isso não é saudável, ela deveria fazer exercícios físicos".
Vamos com calma, certo? Primeira coisa, se a pessoa é gorda isso não é problema seu e se ela é magra, também não é problema seu.
Segunda coisa, se uma pessoa está gorda (ou gordinha, como preferir) não significa que ela não está saudável.

E por favor, não me venha com comentários do tipo "ah, já que fulana não consegue emagrecer vem com esse papo de aceitação e fica achando que tá tudo bem, já que nunca se esforçou" (vi um comentário dessa linha em um dos vídeos da Femme Fatale By Jeh). Como assim!? Em que mundo auto-aceitação, amor próprio e auto-confiança é "desculpa esfarrapada" para alguma coisa? Não é feio você olhar no espelho e achar bonito seu reflexo.

Não importa o formato do corpo ou o peso que acha que a pessoa tem, não é justo ir comentando que nem louco nas redes sociais que fulano está ou não saudável. Afinal, do que adianta bancar o nutricionista e endrocrinologista, se intrometendo na vida alheia com argumentos fúteis achando que sabe tudo, sendo que dormiu nas aulas de biologia durante o ensino médio inteiro e não sabe a diferença entre proteínas e lípidios.

Ora, está certo você querer ter uma alimentação balanceada e querer ajudar os outros a terem também, mas ajude da forma certa e não saia por aí tirando conclusões precipitadas de pessoas que nem conhece.

Também não exija que as pessoas emagreçam para entrar em algum tipo de padrão de beleza. Cada pessoa tem um biotipo diferente e isso é fato, aceite o seu do jeito que é e respeite o dos outros e chega de tanto auê por causa disso. Cada um faz o que bem entende da sua vida.

Aliás! Você que é gordinha, quando alguém te chamar de "gorda" não se sinta ofendida, pois é apenas uma característica física.
E você não precisa ser gostosa para o verão, nem entrar em dietas malucas ou projetos dos quais você não gosta. O verão tem que ser gostoso para você e se aquele biquíni não te serve, compre um maior. Afinal, ser grande não é crime.

27 de jan de 2015

Filme: A Pequena Loja de Suicídios

Eu adoro musicais e filmes de animação, e tenho uma atração imensa por filmes (e livros) com títulos um pouco... diferentes, digamos assim. Com esse não poderia ter sido diferente, confesso que me apaixonei logo de cara pelo título e não deu outra: amei o filme!                                          




Sinopse:
 Em uma cidade triste e depressiva, as pessoas não tem mais passatempos, e o comércio mais lucrativo é uma loja com produtos para suicídio. São cordas, venenos e outros instrumentos para ajudar cada cidadão a encurtar sua vida. O único problema é quando a proprietária da loja engravida e dá à luz a um filho alegre, repleto de vida. Grandes problemas esperam estes pobres comerciantes...






O filme se passa em uma cidade onde não existe mais alegria e coisas legais para as pessoas ocuparem suas mentes, a tristeza é tanta que a única saída para os habitantes desse lugar é o suicídio. Mas tem um porém, as pessoas que são pegas no flagra são multadas e quem paga são os familiares que ainda são vivos. É aí onde essa pequena loja entra, esses comerciantes vendem todo tipo de artefatos já imaginados para o suicídio até que nasce um novo membro na família e como não sabe o que está acontecendo, nasce sorrindo e preserva sua alegria e tenta fazer os outros sorrirem também. 
     
                     
      

Apesar de que o tema central é o suicídio e a infelicidade das pessoas, não é um filme pesado e a alegria demonstrada pelo pequenino Alan, não é forçada e sim vai fluindo e chega a ser convicente.

Também mostra perspectivas inversas, já que no mundo atual quem é infeliz ou tem problemas com depressão, é "banido" da sociedade e a pessoa acaba se excluindo também mas no filme é totalmente ao contrário, a sociedade "bane" as pessoas felizes e com o tempo acaba tornando a pessoa triste.

Um ponto positivo para mim, foi que ao final do filme [SPOILER] eles não criaram uma ditadura da felicidade, onde a cidade inteira do nada se iluminou e ficou mega feliz só pelo fato de estar vivo, pois só algumas pessoas mudaram seu jeito de viver e focaram em coisas positivas. Isso foi algo bacana, porque não cria aquela impressão de que todos devemos ser feliz e ponto. [FIM DO SPOILER]

Acredito que as pessoas que não gostam de musicais vão odiar esse filme e achá-lo cansativo, mas caso goste de musicais ou simplesmente não liga para isso, recomendo que assista o filme.

24 de jan de 2015

Tag musical

Foto: We Heart It 

Eu estava visitando alguns blogs e canais no YouTube e me deparei com essa tag musical do blog Se eu fosse Alice e adorei e decidi respondê-la.

1: Qual seu estilo musical preferido?
Eu sou bem eclética quando se trata de estilo musical, mas confesso que tenho uma preferência por pop. 

2: Qual o seu cantor ou banda preferido?
Não dá pra citar um ou outro e nem só um em cada categoria, então lá vai:
Meus cantores favoritos: Ed Sheeran, Michael Jackson, Justin Bieber e Timberlake (sim, os dois, ué).
Minhas cantoras favoritas: Birdy, Lorde, Sia e Taylor Swift.
Minha banda favorita: gosto de várias bandas mas minha favorita sem dúvida é a banda MAGIC! 


3: Qual estilo musical  você menos gosta?
Sertanejo universitário (mas eu gosto de Luan Santana).

4: Cite uma música que te faz chorar.
Tenerife Sea - Ed Sheeran

5: Cite uma música que marcou algum momento da sua vida.
Gasolina - Danddy Yankee.
Sim, eu adoro reggaeton, me julguem.

6: Qual música você está ouvindo muito ultimamente?
Que Bailes Conmigo Hoy - Fifth Harmony

7: Cite 03 artistas que você gostaria de assistir um show. 
Ed Sheeran, Lorde e MAGIC!

8: Qual música  lembra a sua infância?
En el muelle de San Blás - Maná

9: Qual música melhora o seu humor?
Let Your Hair Down - MAGIC!

10: Qual o seu filme preferido em questão de trilha sonora?
Hairspray

11: Que tipo de música você gosta de ouvir quando está triste?
Músicas "depressivas" para me afundar de uma vez.

12: Em qual momento você mais ouve música?
Geralmente antes de dormir.

13: Qual música você gosta de cantar em voz alta?
Beautiful Girls - Sean Kingston

Não vou indicar ninguém para essa tag, quem gostou e quiser fazer, fique à vontade!